Brasil sobe dez posições em ranking de logística do Banco Mundial

WASHINGTON E RIO - O Banco Mundial divulgou na manhã desta terça-feira em Washington a edição de 2016 de seu relatório bienal de logística, onde o Brasil é um dos destaques positivos. Intitulado “Conectar-se para competir 2016: a Logística Comercial na Economia Mundial”, que coloca o Brasil em 55º lugar entre os 160 países avaliados. No levantamento de 2014, o Brasil aparecia na 65ª posição. O país ainda não retornou ao patamar de 2012, no entanto, quando figurava em 45º colocado.

O Brasil aparece em melhor situação que muitos países vizinhos, como Argentina (66), Uruguai (65), Colômbia (94), Peru (69) e Paraguai (101), mas abaixo do Chile (46) e do México (54). Entre os Brics, contudo, o país aparece melhor apenas que a Rússia (99), e perde para África do Sul (20), China (27) e Índia (35). O levantamento leva em conta estudos de mais de 120 especialistas. No Brasil, foi ouvido o Instituto de Logística e Supply Chain (Ilos), do Rio.

O relatório não aponta os motivos que fizeram o Brasil melhorar, embora indique que o Banco Mundial tem, cada vez mais, se interessado por projetos de logística urbana no Brasil. Entre os emergentes de renda média superior, o Brasil só ganhou menos posições no ranking que Botswana (saldo de 63 colocações) e África do Sul (14 posições à frente em dois anos).